Institucional
Patrono da Fatec Itapetininga

O Patrono da Fatec Itapetininga

Belizandro Barbosa Rezende

N ascido em Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Antonio Belizandro Barbosa de Rezende era filho de Adeodato Andrade de Rezende e Ophelia Barbosa Rezende, austeros pais fazendeiros, que na crise de 1929, perderam todas as suas posses, razão pela qual nosso homenageado, ainda muito jovem, foi obrigado a sair do colégio interno e enfrentar o mundo, apesar do seu desejo de ser veterinário ou talvez médico. Com a falta de recursos para se sustentar e dedicar-se aos estudos, Belizandro teve de mudar seus planos de formação profissional.

Face a essas dificuldades, Belizandro optou pela vida do magistério, formando-se em Filosofia no ano de 1942, pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras São Bento (SP). Tornou-se então professor de Filosofia em Presidente Wenceslau (SP), de onde em 1947, fora designado para dirigir o Instituto de Educação “Peixoto Gomide” em Itapetininga. Na condição de Diretor do estabelecimento, era um homem austero, disciplinado e sempre preocupado em manter a tradição daquela escola, que era referência no município, uma vez que abrigou a primeira Escola Normal do interior do Estado e a segunda de todo o Estado de São Paulo.

Comprovou sua competência na literatura quando efetuou o lançamento de dois livros: “Guia do Diretor”, obra que teve grande aceitação por todo o Brasil, e “Sátiras da Vida”, onde identificava suas observações no cotidiano das pessoas da comunidade, retratando humor, ironia e por vezes, um sarcasmo sadio.

Na imprensa local, durante vários anos, foi um dos mais apreciados colaboradores da Folha de Itapetininga, através de centenas de crônicas, e mais uma vez, ele era aí marcado pela busca da perfeição. Seus textos impecáveis constituíam um verdadeiro exemplo. Com sua habitual franqueza, era um crítico permanente dos erros de português.

Participou de vários movimentos culturais desde o tempo em que passou a dirigir a “Peixoto Gomide”, onde se aposentou.Em 1998, recebeu o diploma pela classificação com louvor na Seletiva de Poesias, Contos e Crônicas de Barra Bonita com a obra “Coisa rara, mas acontece”.

Antonio Belizandro Barbosa de Rezende viveu dentro do seu mundo imaginário, onde a leitura o levava para os mais distantes locais. Mostrou a todos que as maiores riquezas que alguém pode ter são o conhecimento e a honestidade. Transitou em todas as camadas sociais, sendo o mesmo Belizandro, do varredor de rua a uma importante autoridade, pois tinha claro em sua mente, que estava lidando com seres humanos.

Aos 13 de Outubro de 2008, com 92 anos de idade, Belizandro partiu para a morada eterna, deixando viúva a professora Maria Nazareth Rosa de Rezende e seus filhos Angela, Odilon, Marcelo e Luciana, além de nove netos e uma bisneta. Nosso ilustre homenageado, por tudo que realizou e pelos exemplos de vida que deixou como profissional do ensino, como esposo, pai, avô e bisavô, sempre caracterizados pelo elevado espírito de justiça e de amor ao próximo, jamais será esquecido pelo povo amigo e hospitaleiro de Itapetininga, a cidade que ele sempre amou e escolheu para viver.

Fonte: Diário Oficial do Poder Legislativo, p.45, 6 de Novembro de 2008.